Mercado de Locação de Galpões Logísticos em 2018 e horizontes futuros

Locação de Galpões

Falando sobre o Brasil: Hoje temos uma taxa de vacância de 25% no Brasil, quando nos referimos ao mercado de locação de galpões logísticos. Porque isso aconteceu? O modelo não pegou no Brasil? Alguns fatores precisam ser considerados e precisam ser enxergados. Primeiro temos uma país continental e com diferentes aspectos econômicos. Não podemos comparar a região sudeste com a norte, por exemplo. Há disparidades enormes.

O que de fato aconteceu com o mercado de galpões?

Em uma análise básica, até 2014 vivíamos um ciclo virtuoso de crescimento econômico, sem considerar nenhum aspecto político ou macroeconômico. Entre 2009 e 2013 era raro encontrarmos espaços vazios de galpões logísticos e o mercado mais que duplicou. Crescimento econômico e baixa taxa de vacância atraíram investidores para este mercado e houve grandes investimentos no setor. Entretanto entre a compra do terreno, aprovação de
projetos e a construção, há um espaço de pelos menos 02 anos. Então a crise estoura no Brasil e por coincidência ficam prontos no país os novos empreendimentos. Acontece que as empresas cortaram investimentos, desemprego aumenta, consumo diminui. O resultado, aumento da taxa de vacância. Simples. Vale lembrar que a crise é nossa.

Para ilustrar uma comparação dos dados do PIB mundial de 2015
País Variação
China 6,9%
EUA 2,4%
Reino Unido 2,2%
França 1,2%
Alemanha 1,7%
Brasil -3,8%
Argentina 2,1%
Chile 2,1%
México 2,5%
Venezuela -5,7%
Haiti 8,72%
O fato é que vivemos uma crise interna. A crise é nossa e não mundial. Bem, a Venezuela não conta.

O mercado de locação de galpões logísticos tem espaço para crescimento?

Fizemos um estudo comprando a população de determinados países e sua relação com área bruta de locação.
Basicamente dividimos ABL por população:

Pesquisa galpões

Basta comprar neste sentido nossos números com o México, e com a Rússia. Na pior das hipóteses e sem considerar nenhum dado novo, como o crescimento do comércio eletrônico, podemos supor que temos capacidade para, no mínimo, dobrar de tamanho quando nos referimos a condomínios logísticos.

O fenômeno do comércio eletrônico alavancará a locação de galpões logísticos no Brasil

Na contramão da crise, o e-commerce brasileiro conseguiu fechar o ano de 2016 com um faturamento R$ 44,4 bilhões, crescimento de 7,4%. A previsão para 2017 é de que deve chegar a R$ 49,7 bilhões. No Brasil as vendas eletrônicas respondiam por 4% do total do comércio brasileiro em 2015 e devem chegar a 7% no final de 2017, nos Estados Unidos o e-commerce representa 14% das vendas totais do varejo, na Europa 15% e na China 30% segundo pesquisa do Ebit. No terceiro trimestre de 2017, quase 25 % por cento da demanda total de locação nos Estados Unidos vieram de empresas de comércio eletrônico expandindo sua ocupação em mercados onde já tinham presença significativa.  No Brasil os maiores ocupantes ainda são as empresas de logística e os grandes varejistas. O crescimento do comércio eletrônico elevará a ocupação dos condomínios ao longo do tempo.
A entrada de uma nova geração nascida na época da Internet irá mudar definitivamente os hábitos de consumo, onde a velocidade das entregas fará a diferença na hora da compra, o que deve aproximar cada vez mais os Centros de Distribuição das cidades. Olho no chamado “Last Mile” .

Mercado de Locação de Galpões Logísticos vai crescer em 2018! Um bom ano a todos!!

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *